A pastora Ludmila Ferber morreu, aos 56 anos, na noite desta quarta-feira, 26, em São Paulo. Ela lutava, desde 2018, contra um câncer de pulmão. O tumor avançou para metástases nos ossos e no fígado.

A pastora fez parte da primeira geração do grupo de Louvor e Adoração, Koinonya nos anos 80 e 90, que revelou grandes nomes da música gospel, dentre cantores e compositores, como: Asaph Borba, Bené Gomes, Silvério Peres, Alda Célia, Kléber Lucas entre outros cantores. O início do grupo, aconteceu em 1988 na Comunidade Evangélica (que hoje é a Sara Nossa Terra), liderada pelos bispos Robson Rodovalho e Lúcia Rodovalho.

Ela, que foi casada de 1987 a 2014 com José Antônio Lino, deixa três filhas: Daniela Ferber Lino, Ana Lídia Ferber Lino e Vanessa Ferber Lino. 

A cantora gospel gravou oito discos e integrou o grupo Koinonya. Em 1996, decidiu investir na carreira solo.

A última publicação da pastora foi na terça-feira, 25, em que ela escreveu um trecho da canção Buscar Tua Face é Preciso. “Tenho certeza que essa música vai renovar as suas forças para continuar a jornada… mas lembre-se, busque a Face de Deus!! Dele vem o nosso fôlego de vida!”, concluiu.