Os americanos escolheram o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como o homem mais admirado em 2020. Após empatar com o ex-presidente Barack Obama no ano passado, o republicano quebrou uma sequência de 12 anos consecutivos do democrata como o mais votado na tradicional pesquisa realizada pelo instituto de pesquisa Gallup desde 1946.

No total, 18% dos americanos citaram Trump, 15% escolheram Obama, 6% Biden e 3% Fauci. Os outros 10 homens incluíram o papa Francisco, o empresário Elon Musk, o senador de Vermont Bernie Sanders, o cofundador e filantropo da Microsoft Bill Gates, o jogador de basquete LeBron James e o Dalai Lama, o líder espiritual dos budistas tibetanos.

Além das figuras públicas citadas pelos americanos, 11% também citaram um parente ou amigo como o homem que mais admiram. Outros 21%, por sua vez, não opinaram. Este ano marcou a 10ª vez em que Trump terminou entre os 10 mais votados na pesquisa, incluindo quatro vezes antes de ele entrar para a política.

O reverendo Billy Graham, falecido em 2018, é o recordista em número de vezes como escolhido entre os 10 primeiros homens mais admirados pelos americanos, com 61 edições. Já entre os vivos, o ex-presidente Jimmy Carter é o que já figurou mais vezes no Top 10, com 29 edições.