Uma decisão liminar da Justiça Federal de Brasília determinou nesta segunda-feira (26) que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) não poderá ser relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que está marcada para ser instalada nesta terça-feira (27) no Senado Federal. A Justiça acolheu uma ação popular ajuizada pela deputada Carla Zambelli (PSL-SP).

Na última semana, o nome de Renan foi alvo de fortes críticas por parte de deputados e senadores, especialmente da base do governo, por conta das inúmeras denúncias e processos na Justiça pelos quais o senador responde.

Outro questionamento contra o nome de Calheiros na CPI residia no fato de ele ser pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), que poderá ser objeto de investigação da CPI. O deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) chegou a dizer nesta segunda que havia protocolado um pedido na PGR para que Renan Calheiros fosse declarado suspeito.