Na última quarta-feira, 28 de julho, a igreja Casa Worship inaugurou sua unidade em Brasília. A igreja liderada pelo pastor Davi Passamani, que possui sua sede em Goiânia, vislumbra novos horizontes na capital federal.

Seria cômico se não fosse trágico (e antiético) a forma que a igreja vem captando seus novos membros em Brasília. Sua grande estratégia de captação se concentra nas redes sociais. Jovens vulneráveis, adeptos do “evangelho das facilidades” ou chateados com sua igreja atual são o público alvo da Casa. Os jovens recebem em sua rede social um formulário para preenchimento da área que gostaria de servir, como louvor, artes, redes sociais, ministério infantil etc.

A maior mancha existente na liderança da igreja, diz respeito à fama de envolvimento do pastor Davi Passamani com pecados sexuais, que prolonga-se desde a época que liderava o Ministério Ipiranga. Passamani possui um histórico de diversas situações constrangedoras, desde adultério com membros da sua igreja, até acusações de assédio sexual, por repetidas vezes.

Há pouco mais de dois meses, a igreja causou outra grande polêmica ao incluir em seu repertório do louvor, músicas seculares, na ocasião ninguém da igreja se pronunciou, mesmo com grande repercussão negativa da situação.

A verdade é que, nas últimas décadas, o evangelho de “facilidades” se popularizou e tem alcançado cada vez mais a juventude das igrejas, através das suas “modernidades”, convencendo os jovens que pecar é normal. É como dar “doce à criança”. Atrativo, de fácil aceitação, mas a longo prazo, causa consequências catastróficas.