O corpo do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi sepultado no início da noite deste domingo (16), em jazigo da família, no Cemitério do Paquetá, em Santos. Foi uma cerimônia “curta e simples”, disse o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que participou da cerimônia ao lado da esposa, Bia Doria.

– Bruno deixa o legado de alguém compartilhador. Do ponto de vista da vida pública, deu exemplo de honestidade, decência, diálogo, a defesa da liberdade, da diversidade, o direito de todos, dos mais pobres e desvalidos – disse João Doria ao deixar a cerimônia.

O sepultamento e a cerimônia foram acompanhados por familiares e amigos próximos do prefeito.

Boletim médico divulgado na noite da última sexta-feira (14) apontou que o quadro de Covas passou a ser considerado irreversível. Desde então, familiares do prefeito permaneceram ao lado dele no hospital até os últimos instantes os últimas de vida. Devido à gravidade da doença, ele foi mantido sob sedativos e analgésicos.

Neto do governador de São Paulo Mário Covas, Bruno seguiu os passos do avô na política. Formado em Direito e em Economia, o jovem político não chegou a ser chefe do executivo estadual, mas ocupou os cargos de deputado estadual e federal, até que, em outubro de 2016, foi eleito vice-prefeito da cidade de São Paulo, na chapa de João Doria. Ele assumiu a prefeitura em 6 de abril de 2018, após Doria renunciar para concorrer ao governo do estado.

*Estadão