Entenda o que os principais líderes evangélicos do Brasil dizem sobre a vacinação

Ninguém tem dúvidas de que, a criação da primeira vacina, foi uma virada de chave da ciência moderna, e desde então, se tornou fundamental para imunização contra certos tipos de doenças leves e graves, mas que mataram milhões de pessoas ao longo dos séculos e hoje, graças ao conhecimento científico, muitas doenças foram erradicadas através da vacinação. No ponto de vista cristão, pode-se considerar que este conhecimento evolutivo é uma bênção de Deus, assim como toda a medicina tem sido providencial em qualquer tipo de tratamento.

Mesmo no século XXI, ainda existe muita polêmica à respeito deste tema, e nos últimos meses se tornou mais evidente, graças ao desenvolvimento de vacinas de combate à COVID-19, que foram desenvolvidas em tempo recorde, coisa que suas antecessoras demoraram anos para serem comprovadas e colocadas no mercado. 

Somente no Brasil, dezenas de pastores e padres morreram por complicações da COVID-19, números superiores à prefeitos e políticos que também perderam a vida durante a pandemia.

Alguns líderes religiosos e políticos cristãos, como o Pr. Silas Malafaia (Assembléia de Deus Vitória em Cristo), Ap. Rina (Bola de Neve), Ap. Sinomar Silveira (Ministério Luz para os Povos), Renê Terranova (MIR) e Magno Malta parecem se posicionar contra a vacinação, por desconfiarem do jogo político entorno da vacina chinesa CORONAVAC, negociada através do Governador de São Paulo, João Dória e que será disponibilizada através do Instituto Butantan. Em contrapartida, o Bp. Robson Rodovalho (Sara Nossa Terra), liberou um vídeo dizendo que é a favor da vacinação, por entender que “todo desenvolvimento científico é bênção de Deus“. O líder maior da Sara Nossa terra usa do embasamento bíblico para sua posição. De acordo com o Livro de Tiago 1:16, “Todo dom perfeito e toda boa dádiva vem do alto.” e Daniel 12:4 “No tempo do fim, a ciência se multiplicará”. Rodovalho, além de líder religioso, também é físico e foi professor universitário. Ele também se posiciona afirmando:

É melhor uma vacina com menor eficácia do que nenhuma, nem sempre se alcança o objetivo almejado, mas entendemos que tudo isso está em pesquisa e constante evolução.”.

Rodovalho ainda acrescenta que a igreja está orando para as providências de Deus aparecerem através da ciência, novamente em forma de vacinas e remédios.

Constantemente vemos surgir teses e teorias que condenam vacinas, associando à eventos apocalípticos como redução populacional, enfraquecimento imunológico, até a famosa “marca da besta” descrita em Apocalipse, o que causa alvoroço na população e promove uma chuva de desinformações. Estas desinformações, levam a população à acreditar que por trás do processo de vacinação, pode estar relacionado com um plano de domínio da humanidade pelo anticristo. Mas em uma profunda análise, vemos que há uma corrida científica, em busca de uma resposta rápida para reduzir ou até extinguir a COVID-19, assim poupando que milhões de vidas sejam perdidas.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que o início da vacinação se dará no dia 20 de janeiro. Não há uma posição oficial das Igrejas Evangélicas à respeito do assunto, já que o tema se diverge entre os próprios membros das instituições religiosas. Somente à partir início das vacinações, saberemos na prática, a real posição e escolha dos cristãos perante a vacina.

Outras denominações como Assembléias de Deus, Igreja Presbiteriana, Igreja Universal, entre outras não se pronunciaram à respeito.