Os médicos disseram que ele não passaria de semanas

O Dr. Tom Renfro era um médico respeitado e atuante na cidade de Norton, na Virgínia (EUA), quando foi diagnosticado em 1997 com a forma mais rara de linfoma. O câncer do sistema linfático já estava em seu último estágio e especialistas informaram que já não havia mais tratamento.

“O médico disse que não faria radioterapia, nem quimioterapia, que não iriam tentar nada”, lembra Sid, esposa de Tom Renfro. As notícias continuaram sendo piores: “O médico nos disse naquele dia que se [o câncer] atacasse um órgão importante, o Tom viveria apenas três meses. No dia seguinte, seus rins foram atacados.

Segundo o Dr. Steven Woodley, oncologista de Tom, no estágio mais avançado da doença, as chances de ser curado “são quase zero”. Já o Dr. Jack Cox, amigo e médico de Tom, chegou a confessar que “esperava que ele morresse”, em entrevista ao programa 700 Club.

Em apenas 4 meses, o quadro do Dr. Renfro se agravou de forma intensa: coágulos sanguíneos atingiram seus pulmões e coração; tumores se formaram ao redor de sua garganta e pescoço e ele passou a respirar com a ajuda de um tanque de oxigênio. Ele estava tão fraco que já não conseguia ficar em pé.

Em novembro de 1997, Tom usou todas as suas forças para falar à sua igreja em Norton — uma declaração que foi gravada. “Satanás tem atacado meu corpo há quase um ano”, disse ele, com dificuldade. “Reserve um tempo para agradecer a Deus pelas bênçãos em sua vida. Quando você ficar como eu, não haverá tempo.”

De acordo com sua esposa, Sid, os tumores passaram a ser cada vez mais evidentes. “Eles passaram do tamanho de uma bolinha de gude para uma bola de golfe e, finalmente, do tamanho de uma maçã em seu pescoço. Todos podiam ver”, conta.

Os médicos disseram que Tom não passaria de semanas. Sid se apegou à sua fé em Jesus Cristo e ao apoio da igreja.

Clamor da Igreja

Crendo fortemente no poder da oração, os pastores da Freedom of Worship Church convocaram os fiéis para 100 horas de oração pela vida de Tom. A oração começou às 7h de 9 de julho e continuou até 13 de julho de 1997. 

Não contentes, os irmãos decidiram orar ainda mais — foram 12 horas de oração por dia durante 40 dias.

À esquerda, Dr. Tom Renfro debilitado falando à sua igreja. À direita, a congregação em clamor. (Foto: The 700 Club)

“Eles oraram por 40 dias e 40 noites, tiraram dois dias de folga no fim de semana e voltaram a orar por 40 dias. Eu ligava e dizia: ‘Ele está lutando, está doente, sua febre está alta, seus rins falharam’, e eles começavam a orar comigo e permanecer comigo na fé”, lembra Sid.

Para a esposa do Dr. Tom, esta foi a intercessão mais poderosa que ela já testemunhou.

Em um último esforço para dar a Tom mais algumas semanas, a quimioterapia foi administrada. O objetivo era apenas prolongar a vida de Tom até o Natal. Mas um milagre aconteceu: os tumores desapareceram e não havia mais câncer!

Para o Dr. Woodley, este é um dos casos em que a medicina não tem explicação. “Nessa primeira rodada de quimioterapia, vimos respostas em horas, os gânglios linfáticos foram diminuindo. Eu nunca vi uma resposta como essa antes. Foi uma experiência bastante forte.”

O Dr. Cox reconheceu: “Eu senti que o Tom foi curado milagrosamente e que, por meio de sua fé, Deus trabalhou em sua vida para preservá-la, para o seu bem”.

Milagre vivo

Depois de duas semanas, Tom estava na frente da congregação que orou por ele: “Quero que entendam que este é um verdadeiro milagre. É por isso que vocês têm orado. E eu não tenho palavras para expressar a vocês o que está em meu coração, e o que Deus fez por mim. Vocês estão olhando para um verdadeiro milagre de Deus!”

Depois de 25 anos, Tom continua livre do câncer.

Esposa do Dr. Tom Renfro, Sid Renfro. (Foto: The 700 Club)

“No dia em que Deus me curou, a reação das pessoas ao meu redor, minha esposa, família e amigos, foi de alegria exuberante. Eles estavam tão animados. Desde os médicos até o cara que varria o chão, todos eles se alegraram com o milagre que Deus havia feito”, lembra.

Um amigo do casal, Robbie, testemunhou: “As pessoas diziam: ‘Deus me acordou às 2 da manhã e me disse para orar pelo Dr. Renfro. Eu orei por uma hora e voltei a dormir.’ E outra pessoa dizia: ‘Eu sei por que você foi dormir. Ele me acordou às 3 da manhã e me disse para orar por Tom Renfro’”.

“Deus ouve nossas orações”, declara Tom. “O poder da oração é o que ativa Deus. É o que Ele está esperando ouvir, que a gente clame a Ele, não apenas por nossas necessidades, mas em adoração e ação de graças, para dizer a Deus que confiamos e O amamos.”