Cerca de 700 pastores evangélicos de todos os estados do Brasil estiveram reunidos em Brasília, na Igreja Batista Central de Brasília, nesta terça-feira, 5, para apresentar ao presidente Jair Bolsonaro, diversas pautas do público cristão, tais como aborto, ideologia de gênero e ensino em domicílio (homeschooling). Dentre este público, marcaram presença autoridades como Deputados e Vereadores de diversos Estados e do Distrito Federal.

O I Simpósio Cidadania Cristã, foi realizado pela Concepab (Conselho Nacional dos Conselhos de Pastores do Brasil), liderado pelo Bispo Robson Rodovalho (Sara Nossa Terra) e Fenasp (Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Política), liderado pelo Pastor Wilton Acosta.

Reprodução: William Meira – Robson Rodovalho (Sara Nossa Terra / CONCEPAB)

No período da manhã, os pastores debateram os principais pontos que levariam ao presidente.

Além de Bolsonaro, sete ministros participaram do evento: Marcelo Queiroga (Saúde) Milton Ribeiro (Educação), Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Onyx Lorenzoni (Trabalho), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo).

O reinício do evento após o almoço foi marcado pela fala do Ministro Onyx Lorenzoni, que apresentou dados de empregos no Brasil durante os primeiros três anos de governo, que mesmo com a pandemia, alcançou +2,8 milhões de empregos. O Ministro comparou com o governo anterior, que apresentava déficit de -2,4 milhões de empregos no mesmo período de governo, e sem crise.

Reprodução: Gazeta Cristã – Onyx Lorenzoni / Ministro doTrabalho e Previdência do Brasil

Em seguida, o Ministro da Educação, Milton Ribeiro listou uma série de ações que o Ministério tem tomado em favor da Educação. Ribeiro apresentou o aplicativo GraphoGame, importado da Finlândia, que tem auxiliado milhões de estudantes do Pré-escolar ao Ensino Fundamental no processo de alfabetização.

Reprodução: Gazeta Cristã – Milton Ribeiro / Ministro da Educação

O “terrivelmente evangélico”, André Mendonça, ex-AGU e indicado do Presidente ao STF, também se pronunciou. Na ocasião, Mendonça foi recebido com muito louvor pelos participantes do evento, e demonstrou tranquilidade sobre a indicação ao STF, e destacou seu compromisso com as pautas conservadoras.

Reprodução: Gazeta Cristã – André Mendonça (ex-AGU)

Antes do Presidente, destaque maior se deu a fala da Ministra Damares Alves. A ministra apresentou aos pastores evangélicos alguns programas de sua pasta e reforçou que não é “feminista, comunista ou de esquerda“. “Nós estamos lutando e não vamos permitir que a nossa fé seja ridicularizada e que nós tenhamos impedimento na nossa liberdade de fé. Quero lembrar que quando fui indicada para ser ministra, vocês lembram dos ataques que sofri. Parte dos ataques que eu sofri, acreditem, foi porque sou evangélica e pastora. Mas o recado está dado, é melhor ir se acostumando, porque nós vamos ficar muito tempo no poder”, completou Damares. A Ministra ainda destacou sobre a indicação de André Mendonça ao STF: “Bolsonaro escolheu para o STF um pastor de criança. Não tem representação hoje. Olha para o STF hoje, qual é o ministro do STF que fala de criança? Pois agora as crianças terão voz porque um pastor será ministro no STF. Compromisso do Bolsonaro com a pauta da infância”

Reprodução: Gazeta Cristã –  Ministra Damares Alves / Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

O presidente Jair Bolsonaro chegou no evento às 16h00 e foi recebido calorosamente pelo público, que reforçou ainda mais, o apoio dos evangélicos ao chefe do Poder Executivo. Em seguida, os pastores protocolaram e entregaram os pedidos oficialmente ao presidente, que demonstrou alinhamento com as pautas evangélicas sobre Deus, Pátria e Família.

Reprodução: Gazeta Cristã – Jair Bolsonaro / Presidente

“Não podemos perder a oportunidade de continuar mudando no destino da nossa nação. Temos aqui André Mendonça. O conheci na transição. Por coincidência, ele é do Vale do Ribeira, região mais pobre de SP que é minha região também. Apesar dele ser baixinho, né? Um pouco baixo, a cabeça um pouco pequena tem uma bagagem cultural imensa, sabe tudo sobre direito e é evangélico. Ou melhor, terrivelmente evangélico”, destacou Bolsonaro.

O Presidente se demonstrou muito à vontade e manteve um tom sempre sereno e descontraído. Em uma das suas falas, o presidente relembrou as pautas negativas dos governos anteriores, e a capacidade de manterem pautas pró-abortistas e ideológicas. Em um tom sarcástico, o presidente afirmou que se a esquerda retornar ao poder: “Vai ressuscitar tudo isso aí (Não vai não)“, em referência às pautas ideológicas.