Em um pronunciamento nesta terça-feira (23), o Presidente Jair Bolsonaro destacou as ações do Governo Federal para obter vacinas contra a COVID-19, e garantiu mais de 500 milhões de doses. 

Bolsonaro relembrou que desde o início da crise, dois problemas foram apontados: saúde e economia, mas que em nenhum momento o governo deixou de combater o coronavírus e a situação econômica no país.

Desde o começo, eu disse que tínhamos dois grandes desafios: o vírus e o desemprego. E, em nenhum momento, o governo deixou de tomar medidas importantes tanto para combater o coronavírus como para combater o caos na economia, que poderia gerar desemprego e fome“, afirmou Bolsonaro.

O Presidente destacou também a velocidade de vacinação no país, que já passou de 14 milhões de pessoas, com mais de 32 milhões de doses distribuídas. 

“Quero destacar que hoje somos o quinto país que mais vacinou no mundo. Temos mais de 14 milhões de vacinados e mais de 32 milhões de doses de vacina distribuídas para todos os estados da federação, graças às ações que tomamos logo no início da pandemia”, enfatizou.

Ele ainda frisou os acordos assinados, ainda em 2020, com a Universidade de Oxford e Fiocruz, para 100 milhões de doses da vacina AstraZenica, o ingresso no consórcio Covax Facility para a produção de mais 42 milhões de doses, além da liberação de 20 bilhões de reais para aquisição da Coronavac, através do Instituto Butantan. “Sempre afirmei que adotaríamos qualquer vacina, desde que aprovada pela Anvisa. E assim foi feito.” – finalizou.

Embora a grande mídia e oposicionistas ao governo, queiram maquiar os números, sua popularidade ainda é majoritária, e tudo indica que não há adversário à sua altura em 2022. A sua ação em trazer a produção das vacinas para Bio-Manguinhos / Fiocruz, em parceria com a Astrazenica/Oxford foi extremamente inteligente e agressiva. O contrato proposto pela Pfizer poderia levá-lo ao crime de responsabilidade, por exigir indenização do Governo Federal em casos de efeitos colaterais de vacinas. No Brasil ainda não há legislação específica para isso, o que acabou se dando início em março de 2021.

No último dia 21 foi aniversário de Bolsonaro. O Líder do Executivo recebeu milhares de mensagens de eleitores, políticos, apoiadores e líderes religiosos. Dentre as mensagens, um dos conselheiros religiosos do Presidente, Bispo Robson Rodovalho, deixou registrado: “Parabéns, presidente @jairmessiasbolsonaro ! Que nosso Deus te dê força e sabedoria para cumprir essa missão importante. Receba nossas orações com carinho.”